Blog, Entrevistas

Novas tendências: onde encontrar?

Escrito por no dia 04/04/2014
O Executivo de Vendas para América Latina da Schattdecor, Djoni Alexi.

O Executivo de Vendas para América Latina da Schattdecor, Djoni Alexi.

O que vai ser moda na próxima temporada? O que os consumidores irão comprar para suas casas? Todas essas questões são pensadas antes das grandes empresas lançarem as novas tendências para o mercado. No entanto, não são mais apenas as organizações que ditam a moda, hoje em dia é possível buscar novas tendências em diversos locais, como blogs, sites e revistas. A entrevista da semana é com o Executivo de Vendas para América Latina da Schattdecor, Djoni Alexi, e conversamos sobre a importância que as tendências possuem no mercado e na vida profissional.

Você participa de diversas feiras sobre tendências. Como as novidades entram no dia a dia das empresas e consumidores aqui no Brasil?
É um processo longo, influenciado por diversos fatores. No nosso setor (moveleiro, pisos e decoração de interiores), as novidades chegam da mesma forma que na indústria da moda, por exemplo. As empresas estão inteiramente ligadas ao que está acontecendo no mundo e traduzem cada tendência em produtos, cores, texturas, novos desenhos e novos materiais a serem apresentados no Brasil. Penso que hoje vivenciamos um momento de junção entre demanda puxada e empurrada onde os consumidores cada vez com mais acesso à informação, influenciados por revistas, blogs, novelas, filmes, etc. acabam forçando às indústrias a se aprimorarem e trazerem sempre o que mais se adequa ao estilo brasileiro de se consumir, com inovação, design e criatividade.  Cada empresa adequa sua visão de tendência ao mercado em que atua.

Como as novas tendências são criadas? As grandes empresas analisam o comportamento do consumidor para produzir novos produtos?
As tendências são criadas através de grandes estudos de vários setores e também do comportamento dos consumidores. Há alguns anos havia sempre um gap entre o que se apresentava nas principais feiras na Europa e Estados Unidos e o que chegava no Brasil. Hoje é praticamente instantâneo. A indústria da moda gera tendências, a indústria de bens de consumo duráveis como a automobilística gera tendência, os grandes e pequenos designers geram tendências, mas o que mais tem me chamado a atenção nos últimos tempos é como o consumidor influencia e cria novas tendências. Desde blogs locais que ganham proporção mundial ao nosso próprio jeito de decorar nossas casas, de nos vestir e de nos relacionar. Cada vez mais o comportamento do consumidor tem influenciado as grandes marcas a desenvolverem produtos pensados em cada indivíduo. Um exemplo é o carro Mini Cooper, hoje disponibiliza mais de 300 combinações externas, ou seja, focado no consumidor enquanto indivíduo, para um produto “só meu”, personalizado. As empresas estão começando a entender que o que o consumidor busca hoje é ter algo exclusivo, e em muitos casos paga-se o valor por isso. Claro que há produtos em massa e sempre irão existir, mas quanto mais a economia amadurece, quanto mais o consumidor amadurece e aumenta seu poder de compra, mais chances de criar algo exclusivo pode ser explorado pelos profissionais da área, como designers de interiores por exemplo.

Somente as grandes indústrias que influenciam e ditam as tendências?
Antigamente sim, hoje não mais. Cada vez é frequente ver que o consumidor influencia totalmente o mercado. A proximidade das empresas com os consumidores finais através de tantos canais como as redes sociais facilita este estudo. Para se ter uma ideia, grandes marcas como a Vogue, Diesel Home e Armani Home, estão sendo influenciados por pessoas “comuns”, blogueiros que, por exemplo, criam seus espaços na web para divulgar seus comportamentos, suas casas, seus estilos. Isso garante mais personalidade, mais identidade e mais relacionamento com a marca que se deseja consumir, que tem a mesma sintonia que o consumidor busca. As ruas estão cada vez mais influenciando as grandes marcas, que interpretam esses movimentos culturais e traduzem em cores, texturas, desenhos e formas.

Qual a importância de participar de feiras que apresentam as novidades no mercado?
Crescimento, relacionamento e amadurecimento. Penso que são três fatores importantes para que cada profissional possa se desenvolver. Estar à frente do concorrente, buscar interpretar as novidades e aplicar ao mercado em que atua são ferramentas importantes. No Brasil e na América Latina ainda vejo que há muito a se evoluir culturalmente e mercadologicamente. Visitar as feiras no Brasil e exterior são grandes possibilidades, mas devem ser feitas com planejamento e seriedade. Quando se visita alguma feira deve-se ter em mente esses três fatores que considero fundamentais. Sempre é um aprendizado e troca de informações. Infelizmente vejo muitos casos em que profissionais de diversas áreas vão para feiras e acabam fazendo turismo.

Se o profissional não consegue participar dos eventos, o que deve fazer para conhecer os lançamentos das organizações?
Hoje temos conectividade global. Tudo que acontece em Milão, por exemplo, no mesmo dia estará em blogs especializados, redes sociais e nas revistas. Essas ferramentas nos auxiliam na busca por informações das mais diversas áreas. Fóruns, palestras, cursos, workshops sempre são realizados por empresas que podem dar acesso à todas as informações desses eventos. É só ficar atento. Posso citar aqui em Curitiba a Ponto Pessoal, a Anima Trends, o Centro Europeu como opções de update de eventos assim. Além é claro das revistas e blogs já conhecidos. Se não pode ir para a Eurocucina, é só ir no Google e encontra-se informação sobre tudo. Mas é sempre importante ter bases sólidas e confiáveis para se atualizar. Ir visitar as lojas de móveis de padrão um pouco mais alto (ou seus sites caso sejam lojas internacionais, por exemplo), pesquisar sobre cores na indústria da moda, texturas, materiais, temos acesso onde quisermos e isso nos deixa cada vez mais informados a respeito de cada evento. E claro, relacionamento. Procurar profissionais da área, fazer cursos rápidos são maneiras que sempre ajudam.


SOBRE O COLUNISTA

Avatar

Bacharel em Comunicação Social e MBA em Gestão da Comunicação Empresarial. Jornalista com mais de 10 anos de experiência, tendo passado por grandes veículos de circulação nacional. Hoje é o jornalista responsável pela Revista Digital Ponto Pessoal e assessoria de imprensa e comunicação institucional da agência Ponto Pessoal . Perfil LinkedIn http://www.linkedin.com/in/heversonbayer | jornalismo@pontopessoal.com.br

Criado com Area de Membros WP